Digite seu e-mail abaixo, e alavanque sua vida – e seu negócio – para o próximo nível!
* Anti-SPAM: Seus dados nunca serão vendidos nem repassados para terceiros.

thumb-fluencia-ingles
Aprendizado Entrevistas Mentalidade

Fluência em Inglês com Moema Edler, Deficiente Visual que Fala 7 Idiomas

Por

Em um planeta com mais de 7 bilhões de pessoas, dominar a língua inglesa não mais é opcional, mas sim um requisito crucial nas nossas vidas e, em especial, na do empreendedor moderno.

Se comunicar com pessoas de diferentes nacionalidades, buscar conhecimento especializado ou até mesmo viajar sem medo, são algumas das possibilidades oferecidas ao se dominar novos idiomas.

Infelizmente, muitos são os bloqueios enfrentados ao se iniciar o aprendizado de novas línguas…

E nada melhor que conhecer pessoas brilhantes, que podem quebrar a nossa própria realidade e nos inspirar, muito além do que achamos que somos capazes.

Enquanto muitos barram em pequenas adversidades, outros as atropelam com muita garra, mentalidade invejável e foco aguçado.

Seu Bate-Papo Sobre Fluência Em Inglês Com Moema Edler:

Neste Bate-Papo #8, da nossa categoria de Bate-Papos & Entrevistas, você vai conhecer a Moema Edler, deficiente visual, graduada em letras com especialização em língua inglesa e fala, nada menos que, 7 línguas.

Coloque essa entrevista no seu site (copie e cole o código HTML)

Apesar de a Moema ter nascido sem os olhos, tais adversidades serviram como combustível, e não obstáculo, para continuar buscando novas habilidades.

Além do conhecimento em línguas, ela também aprendeu a tocar teclado, fez balé e, recentemente, fez um treinamento de massoterapia.

Tópicos importante abordados neste bate-papo:

  • Como quebrar a parar de procrastinar para fluência em inglês;
  • Utilização do estudo online para aprender línguas;
  • Métodos de motivação para o estudo do idioma inglês;
  • Filmes, seriados e música como ferramentas para fluência;
  • Aprender o inglês antes ou durante um intercâmbio?;
  • Como utilizar o Princípio de Pareto para alavancar seu domínio de idiomas;
  • O inglês como ferramenta para aprender outras línguas;
  • Uma estratégia fantástica para a fluência em inglês;
  • E muito mais

Após o bate-papo, convidei a Moema para ser uma das colaboradoras do projeto Libertação Digital.

Sabe as legendas em Português das entrevistas internacionais que você assiste por aqui?

Pois é, é a Moema Edler quem faz as traduções… para que você possa assistir e ter acesso a todas essas informações.

Fantástico, não? 🙂

Por fim, deixo uma pergunta para você…

Qual é a sua maior dificuldade na busca pela fluência em inglês?

Deixe eu comentário abaixo e participe das discussões. 🙂

Um forte abraço,

Marcus Lucas - Assinatura  

“Algumas pessoas não enxergam mesmo tendo olhos.” – Marcus Lucas

Sua Transcrição: Fluência Em Inglês Com Moema Edler

Marcus Lucas: Olá, pessoal! Eu sou Marcus Lucas e eu to aqui com uma pessoa muito especial, que é a Moema Edler. Ela me procurou esses dias e ela queria criar um negócio online, né? Que ela já dá aula de línguas, ela é graduada em letras, com licensiatura em Português e Inglês e ela é especialista em educação de línguas estrangeiras.

E ela me procurou e falou assim: “Ah, eu já dou consultoria pelo Skype. Então, como é que eu posso fazer pra aumentar a escalabilidade do meu negócio?”, né? Então, achei isso impressionante sobre ela. Moema, conta um pouquinho mais da tua história pra gente!

Moema Edler (Fluente em Inglês): Bom, boa noite, Marcus! E o meu cumprimento a todos que nos escutarão! Eu sou professora, sou graduada em Letras, como tu falaste, desde dois mil e quatro, e o meu sonho sempre foi fazer Letras pra trabalhar como tradutora intérprete, mas também me encontrei no ramo da docência. E paralelamente a isso, também, eu já estudei Música, já fiz curso de Massoterapia, já fiz Balé… e atualmente eu falo seis línguas.

Marcus Lucas: Fenomenal, né? Até quando ela começou a me falar, né? Tipo as aulas que ela dá de inglês e outras línguas também… e eu já fui pra fora do país, e o inglês dela é melhor que o meu! Foi realmente impressionante quando… é um exemplo de motivação e inspiração pra muitas pessoas, né? Então, vamos começar a falar já direto pra ensinar aquele pessoal, um pouco, que quer aprender uma língua e ainda tá procrastinando, né? Que a coisa mais fácil que tem é a gente querer aprender uma habilidade, mas se dar desculpas pra não começar a executar. E ela é uma expert nisso, né, pessual? Então, vamos passar umas dicas principais pro pessoal que quer começar e quebrar a barreira da procrastinação.

Moema Edler (Fluente em Inglês): Certo! Então, pras pessoas que estão procrastinando, que querem aprender uma língua, ou que talvez foram bloqueadas, tenham sido bloqueadas por algum motivo, eu acho que o primeiro passo é tu tentar começar de onde parou, esquecer, né? Analisar o motivo pelo qual tu foste bloqueado, mas depois, tentar começar de onde parou, e uma das coisas, também entra… uma das questões que também entram aí é o estudo online. É o “self teaching”, Que seria, né, o aprendizado autodidata.

Se a pessoa começa a fazer leituras, a ouvir seriados, filmes… né?

Assistir…, ouvir música, e tentar meios que motivem a aprender a segunda língua, eu acho isso importantíssimo, e até pesquisas pela internet. A própria informática já requer o uso do inglês, por exemplo.

Marcus Lucas: É, o interessante, eu tava conversando com ela antes, e eu tenho um amigo meu pessoal, né? Um grande amigo meu, até se ele assistir, ele vai ficar brabo comigo que eu to falando isso agora, mas há anos atrás, a gente fez faculdade junto, e a gente sempre falava: “Cara, vamos aprender inglês juntos!”, né?

E ele: “Não, não! Vou esperar pra mim fazer um intercâmbio, que lá vai ser muito mais rápido o aprendizado.”. E agora, passou anos, já passaram dez anos, e ele ainda não fez nada, não fez intercâmbio, não aprendeu Inglês, né? Então, qual seria uma dica principal, assim, pro pessoal que quis começar a aprender, mas por algum motivo, parou, e agora, não tem mais motivação nenhuma pra começar?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Bom, quem não tem motivação nenhuma, eu acho que o primeiro passo é começar ouvindo coisas. Eu, particularmente, que sou uma pessoa que não enxerga, eu acho que o áudio é a primeira coisa, porque tu vai escutar coisas, tu vai escutar conversações, vai procurar materiais de cursos, procurar coisas que te motivem, até jogos, né… eu acho que a motivação, ela começa desde a infância, mas no caso de um adulto, procurar jogos online, onde tu possa interagir com pessoas estrangeiras, o contato pelo Skype, ou qualquer… de repente, até sites de relacionamento, com pessoas estrangeiras, isso te motiva bastante.

A pessoa também vai aprendendo inconscientemente a falar, se expressar, né? Pesquisar… a internet, eu defendo como uma ferramenta eficaz pra esse aprendizado.

Marcus Lucas: E principalmente pro pessoal que teve um bloqueio, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente.

Marcus Lucas: Por causa de uma repreensão de um professor, ou teve alunos que começaram a gozar de uma performance não muito adequada…

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente. Então, se tu não foste motivado, ou pela família, ou pelo meio ao teu redor, de repente, na escola, porque acontece muito das pessoas rirem… então, o que tu vai fazer? Lá no teu cantinho, né? No teu quarto, ali, no teu computador, tu busca meios de aprender, e quando tu vê, já aprendeu, quando vê, já interagiu com essa língua, com essa segunda língua, sem que outros soubessem, sem que outros tivessem te bloqueando, né? Zombando de ti. Então, é importante…

Marcus Lucas: Quando eu decidi gravar essa entrevista com a Moema, ela foi muito generosa também de tá aqui, né? E oferecer o tempo dela!

Moema Edler (Fluente em Inglês): Obrigada!

Marcus Lucas: Porque aprender outras línguas é fundamental pra negócios globais, né? Pessoas que querem expandir negócios pra outras línguas, pra criar relacionamentos também é uma forma essencial, e também naquele caso do meu amigo, que ele deixou de aprender uma língua, eu acredito muito que a pessoa aprendendo uma língua, vai se motivar a querer ver o mundo lá fora.

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente! E tu falaste a questão da motivação, Marcus, e eu acho que é muito importante que se explique aqui também, que a motivação, existem dois tipos, né?

A motivação intrínseca, que é aquela que vem de dentro de ti, no momento que tu vê coisas acontecerem, que tu vê…, que tu sabe que aquele teu amigo fez um intercâmbio, que interagiu com outras pessoas, que teve contato com uma segunda língua, que tá se dando bem, hoje, no campo profissional, né?

Que tá se realizando de uma certa forma, e tem aquela motivação que vem do externo, que às vezes, é muito difícil conseguir.

Tem pessoas que a família não motiva, que as pessoas ao redor não motivam, e no momento que tu começa a querer aprender, dizem: “Ah, tu nunca deu pra isso! Tu não vai…”, né? “Tu não vai em frente…”, e eu, graças a Deus, minha família sempre me motivou, né?

Marcus Lucas: É verdade. E fez um bom trabalho, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): É.

Marcus Lucas: É, e uma coisa também interessante é que eu acredito que o (nome não entendido) Ribeiro, né? O doutor, ele falando, né? Que não existe sorte, existe a pessoa, tendo habilidades, encontrar uma oportunidade, né?

Que ele foi pros Estados Unidos pra fazer especialização e é verdade! Isso que é uma mente empreendedora, né? Buscar mais habilidades pra poder lidar com maiores possibilidades de criar uma oportunidade, criar um negócio, criar melhores relacionamentos pras pessoas.

Então, por isso que é importante, né? Independente de qual língua, ou de qual habilidade, é sempre bom continuar aprendendo, né, Moema?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente, e eu optei por dar aulas online, justamente porque tem pessoas que trabalham, principalmente o meu público, a maior parte, trabalha em empresa, né? Trabalha em horários que de repente não tem muito tempo pra nada, e o que que acontece? Eles fazem o próprio horário de estudo.

E eu mando materiais por e-mail, quando eles tem algumas dúvidas, eles esclarecem, né, via Skype, e é uma forma das pessoas… eu acho que o ensino à distância é uma forma das pessoas aprenderem, estarem tendo contato com o aprendizado de uma maneira que elas possam fazer os seus próprios horários, né? E que elas não tirem o tempo que elas têm ocupado pra fazer outras coisas.

Marcus Lucas: Tu falou sobre bloqueios mentais, como parar de procrastinar, a importância de aprender uma outra habilidade ou de línguas, agora vamos falar um pouco também, Moema, sobre algumas técnicas, que a Moema fala cinco Línguas, pessoal. Uma delas é o Latin também, que é uma coisa impressionante.

Então, vamos falar um pouco de umas técnicas de aprendizado rápido de línguas, e principalmente o Inglês, né? Que é a formação da Moema.

Então, qual seriam as dicas pro pessoal começar a aprender de uma forma mais acelerada, o pessoal que não tem muito tempo?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Uma dica, que eu acho, que eu entendo como fundamental, é a leitura. No momento que tu lê textos em Inglês, que tu faz o que se chama de “brainstorming”, que é o quê? O que o título, por exemplo, de um texto, te sugere, tu faz a parte de “skinning”, que seria dar uma passada rápida pelas palavras do texto pra ver o que tu conhece, o que que é parecido com a tua língua, o que que te lembra alguma coisa, né? Já familiar, esse “skinning”, “scanning”, vem mais dessa… tem a ver mais com essa parte de passar as palavras e não fazer uma tradução literal, né?

Então, a leitura é uma das ferramentas fundamentais e até essa interação com pessoas estrangeiras que, de repente, até saibam a tua língua, porque num primeiro momento, tu te apoia na tua língua materna pra tu poder aprender uma segunda.

Então, uma pessoa estrangeira que, de repente, saiba a tua língua e que possa te ajudar e falar o máximo possível no idioma, no segundo idioma, contigo, eu acho que seria fundamental assim, essas duas coisas:

O contato com pessoas estrangeiras e muita leitura. Pesquisar, até dentro da própria informática, se tem muito, por exemplo, a língua inglesa, né?

Marcus Lucas: Porque agora que as pessoas têm internet, um computador dentro de casa, é uma plataforma gigantesca que pode se conectar com o mundo inteiro, né? Então, ferramentas como o Skype, como as salas de bate-papo também em Inglês, ajudam muito esse tipo de pessoas.

E qual tu recomendaria, Moema, pro pessoal que quer aprender utilizando o prazer ao mesmo tempo, né? No caso de música, filmes, seriados, qual que seria uma abordagem inicial, assim, pra esse tipo de pessoa?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Bom, uma coisa: Eu já vi pessoas que não são muito chegadas em filmes e em seriados, mas não conheço ainda ninguém que não goste de música, né? Então, eu, particularmente, recomendo muito a música, embora, muitas vezes, tu não vá aprender a gramática através da música, mas a gramática, eu digo que ela não deve ser enfatizada como uma coisa fundamental, porque tu vai aprender inconscientemente, tu vai aprendendo como tempo.

E tem N formas de tu aprenderes a gramática, né? Então eu acho que a música é uma das ferramentas mais eficazes, porque ela trabalha o léxico, trabalha palavras novas, né? Um novo vocabulário, ela trabalha estruturas frasais… Uma ferramenta também que eu considero boa é o Google, o tradutor do Google, porque tu vai escrever uma frase ali, tu pode fazer isso brincando mesmo, tu vai escrever uma frase ali, uma palavra, ele vai te traduzir e ele tem a pronúncia ali também. Então, tu vai tá aprendendo a escrever, né? Tu vai tá aprendendo como ela é escrita num segundo idioma, a pronúncia, e tu vai tá exercitando o áudio também.

Marcus Lucas: Eu acho interessante também, é que… algumas pessoas que tão vendo também podem ter filhos, né? Alguma recomendação especial pro pessoal pra incentivar os filhos, uma das coisas que eu acho interessante, tem alguns sites como Airbnb, que é possível hospedar um estrangeiro e também receber dinheiro em relação com a estadia, e incentivar os filhos nesse ambiente mais dinâmico, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Acho interessante também esse teu comentário e acho interessante o intercâmbio, né? Que se incentivaria desde criança, né? Certamente incentivaria desde criança e essa coisa de tá em contato com brincadeiras que envolvam um segundo idioma, né?

O intercâmbio, eu acho que ele é uma ferramenta ótima, eu acho que ele é um meio ótimo de se aprender, de se acrescentar mais coisas, mas ele não é fundamental pra aprender o idioma, uma vez que, se tu não sabes a língua local de um país, tu não vais aprender num intercâmbio, porque tu vai passar muito trabalho, né? Então, é interessante que tu tenha um conhecimento prévio antes de ir pra outro país.

Marcus Lucas: É, pode acabar se tornando estressante, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Sim, exatamente. Pode se tornar estressante, pode sofrer muito por não saber se comunicar. E a pessoa que não enxerga, por exemplo, tem esse problema do gesto. A gente não tem, muitas vezes, a gente não tem como gesticular, não tem como saber se a pessoa tá vendo, não tem como entender o gesto do outro. Então, a “body language”, que a gente chama, né? A linguagem corporal, pra gente, não adianta. Então a gente tem que ter uma prévia antes de ir.

Marcus Lucas: Também tem o princípio de Pareto, né? Que vinte porcento das ações geram oitenta porcento dos resultados, e pode ser utilizada em várias esferas, né? Como negócios, línguas, relacionamentos… E até eu recomendo aqui um livro, que é o Four-Hour-Chef, do Tim Ferris, em que ele fala que é possível pegar as palavras mais faladas daquele vocabulário pra decorar primeiro, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente. O que se chama, dentro da área do Inglês de “Schooling English”, que seria o básico, né? As conjunções, as palavras mais… que se aprendem na escola, né? Desde aquela frase: “The book is on the table.”, que todo mundo conhece, né? São aquelas frases que se aprendem na escola realmente, que são as primeiras palavras do Inglês, né? Procurar juntar as palavras, então, e formar, nem que seja, de vez em quando, um pequeno texto, né? Ou formar sentenças mais longas…

Marcus Lucas: É interessante, né? As sentenças gramaticais mais utilizadas também, porque existem algumas que nem mesmo americanos falam, né? As mais super formais…

Moema Edler (Fluente em Inglês): Como, por exemplo, “however”, que seria o nosso “no entanto”, a gente mesmo aqui, no Português coloquial, a gente não diz “no entanto”, a gente diz “mas”.

Marcus Lucas: Então, vamos começar a utilizar a lei de Pareto, aprender, memorizar as palavras principais, as estruturas gramaticais primeiro, utilizar jogos, utilizar seriados, música, e o Google Translator, o tradutor do Google, apesar de que algumas pessoas falam: “ah, ele é meio limitado.”, mas ele oferece uma gama muito interessante ali também de vocabulários de traduções, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente. Pra mim, particularmente, é um dos tradutores mais eficazes, né? É um dos mais eficientes que eu conheço. É claro que a gente sabe, pessoal, que não tem um tradutor cem porcento perfeito, porque muitos vão fazer uma tradução literal, que de repente, vai deixar sem sentido, e principalmente as expressões idiomáticas, como existe em todas as línguas, né?

Um tradutor não é capaz de traduzir da maneira correta. Ele vai fazer uma tradução literal, mas pra ter uma base, principalmente desse schooling English, que seria o Inglês que se aprende na escola, pra ter uma base do que se está falando, do que se está lendo, eu acho que ele é um dos mais eficazes.

Marcus Lucas: E aquelas pessoas que já aprenderam uma outra língua, por exemplo, aprenderam Inglês, aprenderam Italiano ou espanhol, aprender uma terceira língua fica mais fácil de ser aprendida ou não?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Olha, Marcus, eu não diria que ficasse totalmente mais fácil, mas o teu cérebro fica mais sucetível ao aprendizado de uma terceira ou de uma quarta língua, talvez. Porque na verdade, o que acontece? A pessoa que aprende uma língua é como que uma criança aprendendo a falar. É o mesmo processo. Tu vai aprender, porque o teu professor vai conversar contigo no idioma, porque vão te puxar nesse sentido, vão tentar ao máximo fazer com que tu aprenda a falar.

Tu vai repetir palavras, é o mesmo processo que uma criança aprendendo a falar. E quando tu aprende a escrever, é o processo da criança na primeira série, que tá se alfabetizando.

Mas isso vai se repetir em toda e qualquer língua que tu aprenderes. E muitas vezes, a raiz de uma língua não é parecida com a de todas que tu vai aprender. Não é a mesma e não é parecida com a de todas que tu vai aprender. Então, o que acontece é que muitas vezes, tem gente que fala bem espanhol, mas não consegue, de jeito nenhum, aprender inglês, porque a raiz não é parecida, porque se deparou com estruturas gramaticais diferentes, né? E tá sendo alfabetizada de novo. Mas o cérebro tá mais sucetível, tá mais aberto, porque tu já aprendeste uma segunda língua. Tu já tiveste uma primeira experiência.

Marcus Lucas: E sempre também aprender uma nova habilidade, uma nova língua, é uma conquista pessoal, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente.

Marcus Lucas: Ajuda a aumentar, não o ego, mas a autoestima, pra buscar outras coisas também…

Moema Edler (Fluente em Inglês): A motivação… sim, porque isso acontece desde que nós somos crianças, na verdade. A criança, quando ela aprende uma segunda língua, seja na escolinha ou num curso, né? Ela já chega em casa dizendo: “Mãe, eu sei dizer bom dia! Eu sei dizer boa noite! Eu sei formar frase…”. Então, essa motivação que nós chamamos de motivação intrínseca, ela vem de quando a gente começa a aprender, né? De tu saber que tu conquistou alguma coisa, saber que tu teve uma vitória, né? Naquele aprendizado ali. Que agora, tu pode pensar, tu pode escrever, tu pode se expressar naquela língua.

Marcus Lucas: Quando eu fiz meu mestrado no Japão, eu não sabia muito Japonês, né? Mas os livros pra aprender Japonês era em Inglês. Então, aprender uma outra língua, em si, é uma plataforma pra outros aprendizados, que estão dispostos em outras línguas de outras cabeças pensantes, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente. Inclusive, sobre isso, eu tenho a dizer que eu to aprendendo, casualmente eu to aprendendo Sueco através do Inglês.

Marcus Lucas: Uau!

Moema Edler (Fluente em Inglês): É, Então, aí, volta a questão do cérebro mais suscetível. No momento que tu aprendeu uma língua, tu pode aprender várias, até através dela, né?

Marcus: Então, não tem mais motivo pro pessoal falar: “não, não vou aprender.”…

Moema Edler (Fluente em Inglês): Não.

Marcus Lucas: Pessoal, quanto mais a gente aprende mais habilidades, mais a gente se desenvolve, né?

Moema Edler (Fluente em Inglês): Não, e principalmente a língua inglesa, e to aqui puxando um pouco de brasa pro meu assado, né? Mas a língua inglesa, ela te abre um leque de possibilidades, né? Temos aí o exemplo do Marcus mesmo, que fez intercâmbio, que já esteve por vários países, e sabendo Inglês, né? É língua universal e, pra trabalho, pra negócios, até pra um curso de Informática que tu queira fazer, é importante.

Marcus Lucas: No contato com estrangeiro em si, é normal e é natural conhecer alguns estrangeiros que são da Inglaterra Austrália, Nova Zelândia, em que eles falam de uma forma, né? Com um sotaque diferente.

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente. É.

Marcus Lucas: Então, não se sintam com vergonha de falar assim, óh: “You’re speaking too fast. Can you speak slowly?”, né? “Fala mais devagar…”.

Moema Edler (Fluente em Inglês): Meu primeiro contato com um americano foi assim, porque o americano, principalmente, ele fala muito ligeiro.

Marcus Lucas: O interessante de tentar entrar numa conexão pessoal com alguém, eu tava na Lituânia e conheci uns amigos da Califórnia, e eu comecei a pedir pra eles me ensinarem as gírias deles. E um deles ficou meio conectado comigo, tipo… pô!

Parece… eu nasci lá. Então, tipo é muito bacana tu tá tentando falar da forma que eles falam, né? Então, quando já começar a ficar um pouquinho mais avançado, tentar encontrar umas formas pra se conectar de uma forma mais pessoal, né? Como
realmente seu amigo falaria.

Moema Edler (Fluente em Inglês): Sim, porque… por isso que eu acho, por essa questão que eu acho que a gramática não deve ser tão enfatizada e deve ser aprendida meio que inconscientemente, porque acontece o seguinte: Desde uma coisa bem banal: Tu estás numa situação em que… vamos supor, uma situação formal, em que alguém te pergunta assim: “Do you speak English?”, tudo bém, né? “Você fala Inglês?”.

A frase tá bem estruturada gramaticalmente, mas se tu vai tá numa danceteria, num pub, alguém vai te dizer assim: “Speak English?”, né? “Fala Inglês?”. É aquela estrutura totalmente fora da gramática, mas que é a língua coloquial. Então, isso faz parte da fluência verdadeira.

Uma das coisas também pra tu exercitares a pronúncia de uma língua, por exemplo, tu tá caminhando, ou tu tá em casa, em fim… tenta pensar no que tu tem que fazer, na próxima coisa que tu tem que fazer no dia-a-dia, coisas bem banais, coisas corriqueiras do dia-a-dia, e tu pensa em voz alta e fala naquela língua. Então, por exemplo, o Marcus vai dizer assim, óh: Se ele tem que me ligar, ele vai pensar que tem que ligar pra mim, ele diz: “Ah, agora eu preciso ligar pra Moema.”.

Ele vai falar sozinho, naturalmente, porque a gente tem esse hábito de falar sozinho, mas por que que ele diria: “Eu preciso ligar pra Moema agora.”, se ele pode dizer: “I need to call Moema now.”? Né? Pra exercitar a pronúncia dele, pra exercitar a fluência, e cada vez que se fizer isso, a gente vai notar uma certa evolução, a gente vai notar que cada vez, a gente tá falando mais rápido. Praticar, não só com estrangeiros, mas praticar sozinho, né? Em casa, com a gente mesmo, é interessante.

Marcus Lucas: Mas a Moema, também é interessante que ela toca piano,

Moema Edler (Fluente em Inglês): Teclado.

Marcus Lucas: É, teclado, ela já fez um curso de Massagem, de Massoterapia, e eu acho muito interessante encontrar esse tipo de pessoa, né? Que tá sempre tentando evoluir, aprender mais coisas, mais habilidades, e ela é um exemplo de inspiração e determinação, né, pessoal?

Então, dá uma mensagem aí pro pessoal em relação ao que tu passou na tua vida, porque algumas pessoas pensam: “Ah, eu tenho um obstáculo tão grande…”, e a gente pode reduzir os obstáculos pra ficarem menores, né? E tudo ficar mais possível.

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente. Eu acho assim, óh: Todo mundo tem sonhos na vida, mas a gente pode transformar esses sonhos em objetivos, né? E pra se transformar esses sonhos em objetivos a serem alcançados, é possível. Basta que se queira e basta que cada um descubra o melhor dentro de si, porque é impossível que exista uma pessoa que não tenha nada a oferecer. Então, cada um de nós tem uma habilidade, e cada uma dessas habilidades deve ser desenvolvida, né?

Se tem alguém que só gosta da área da música, por exemplo, e tem habilidade pra música, e fora isso, não quer fazer outra coisa, então investe, né? Eu recomendo que as pessoas invistam naquela sua habilidade, e tornem cada vez maior, e vão em busca desse objetivo. A gente pode pensar maior. A gente não precisa ficar só em “sonhos”, pode pensar “objetivos”.

Marcus Lucas: E uma das coisas que eu uso, eu tento nunca utilizar a palavra problema. Eu sempre penso: “Não, é um desafio”.

Moema Edler (Fluente em Inglês): Exatamente. A vida é um desafio, né? A gente deve superar essas barreiras, a gente deve vencer esses desafios com garra, né? Basta que se queira, basta que se tenha aquela motivação e pense: “Não, mas é possível, e eu vou conseguir.”, né? Eu acho que se a gente é… nós somos pessoas perfeitamente capazes. A gente consegue, basta que se queira.

Marcus Lucas: E eu agradeço aqui o tempo da Moema, né? Em tá fazendo esse vídeo pra vocês! Então tá. Obrigada pessoal! E até a próxima!

Moema Edler (Fluente em Inglês): Obrigada, Marcus! Até!

Marcus Lucas: Até mais!

Fique Atualizado, É 100% Grátis!

Gostou deste artigo? Então digite seu e-mail para receber atualizações:

Se esta entrevista foi útil ou inspiradora, ajude a espalhar esta mensagem compartilhando no Facebook. E também participe nas discussões abaixo! 🙂

ARTIGOS RELACIONADOS
  • Bruno Sampaio

    A Moema é um excelente exemplo de que a nossa maior limitação, o que realmente faz a diferença na nossa vida, é a maneira como pensamos e encaramos as coisas.

    • Grande Bruno!

      A Moema é uma inspiração. Fantástico ter ela como colaboradora desse projeto.

      Forte abraço!

  • Adriana Lino

    Oi Marcus, tudo bem ? Nada melhor do que começar a semana com um video inspirador como esse. O limite somos nos mesmo que no colocamos!!! Querendo e colocando a procrastinação de lado tudo e possível !!! Muito obrigada por compartilhar… Abraços

    • Olá Adriana,

      Muito obrigado pelo comentário, ficamos muito felizes.

      Forte abraço!

  • Duanne Rodrigues

    Grande Marcus, sempre nos trazendo pessoas incríveis para somar! Parabéns!

    • Grande Duanne,

      Muito grato pelas palavras e feliz com a sua participação nas discussões!

      Abraços.

  • Alberto Solon

    Gostei das idéias de trocar SONHO por OBJETIVO e PROBLEMA por DESAFIO.
    Parabéns, Marcus e Moema!!!

    • Olá Solon!

      Algumas reformulações na utilização de certas palavras podem ajudem ajudar muito!

      Forte abraço (e vejo você em breve)!

  • Adorei o vídeo Marcus! Grande exemplo!

  • Olá Marcus,

    Ainda lembrando da sua palestra no Afiliados Brasil, eu penso que a história da Moema contada no palco fez muita gente se emocionar, e eu não fico de fora. Ela é um exemplo de superação, pois não tem o sentido da visão e tem fluência em vários idiomas, um belo exemplo para nós. Enquanto muitos reclamam, outros perseguem seus objetivos, mesmo com as limitações.

    Outras coisas que foram citadas no vídeo eu pude comprovar na prática, como conversar com pessoas que falam o idioma nativo , foi assim que aprendi muito (e continuo a aprender) espanhol e inglês.

    Infelizmente, muitas pessoas próximas nos podam, questionando que “isso não tem serventia”, “é perda de tempo” ou ainda “a pessoa é muito novinha para aprender tal coisa” (essa última eu escutava muito na escola). Algumas vezes, querendo que a gente evite frustração, outras é por inveja mesmo.

    Mais um exemplo de que, com força de vontade, podemos superar limites. Obrigado por compartilhar o vídeo. Grande abraço!

    • Grande Fabio!

      Tem o TEDx esse final de semana, estou pensando em contar um pouco da história dela no palco também.

      Infelizmente, muitas pessoas realmente não dão o valor devido à educação… é muito mais fácil extravasar em baladas, futebol e carnaval do que se manter persistente em estudos aplicados.

      Muito obrigado pelas suas palavras, sempre preciso e claro!

      Forte abraço!

  • Dicas motivadoras e maravilhosas. Realmente as suas dicas valem um milhão de dolares. A Moema é uma pessoa apaixonante, simpatica e feliz. Passa uma segurança de que realmente nós podemos aprender e dá dicas bem legais. Creio que o conhecimento nos liberta e ter o conhecimento de uma segunda ou terceira lingua cada vez ajuda mais a aumentar o conhecimento. Parabéns e sucesso!

    • Olá Ailton,

      Obrigado pela participação e pelas palavras de carinho. Realmente, a Moema é fantástica.

      Forte abraço!

  • Grande Mulher ! inspiração e motivação para todos. Confesso que é difícil comentar sobre algo tão extraordinário, por incrível que pareça estamos acostumados a ver pessoas que optam por reclamar do que mudar de vida e se adaptar conforme a suas situações e na contramão disso vem pessoas como a Moema e nos jogam um balde de exemplo e sabedoria. O que tenho a dizer é que parabéns a Moema que nos inspira a sermos cada vez melhores.

    Ps. A história da Moema me lembra a de Helen Keller (1880-1968, uma mulher extraordinária, cega, surda e muda desde bebê, nos chama a atenção para a apreciação de nossos sentidos, algo que normalmente não percebemos. Apenas de posse do sentido do tato e uma perseverança inigualável, sob a orientação de Anne Sullivan Macy, Keller pôde aprender a ler e escrever pelo método Braille, chegando mesmo a falar, por imitação das vibrações da garganta de sua preceptora, as quais captava com as pontas dos dedos. O esforço de sua mente em procurar se comunicar com o exterior teve como resultado o afloramento de uma inteligência excepcional, considerada a maior vitória individual da história da educação.)

    • Grande Aline,

      Ótima participação e muito legal a sua comparação com a Helen Keller.

      Tenho certeza que a Moema ficará feliz por ser comparada com alguém tão fantástica quanto a Hellen.

      Gratidão 🙂

      Abraços!

  • Parabéns pelo trabalho Marcus Lucas! Ótima entrevista

    • Olá Tiago,

      Grato pelas palavras e sempre grato pelas suas participações!

      Forte abraço.

  • viviane Masiero

    Parabéns, sensacional! Qual o contato da Moema?

    • Olá Viviane,

      Grato pelas palavras. Me contate através da página de contatos aqui no blog para isso.

      Abraços!

  • Luiz Carlos de Sá

    Meu Deus! como existem pessoas magnificas. Isto é saber o que é correto, bom, e gostar das pessoas. Estou muito feliz. Eu também faço letras Português/ Inglês pela UEM Universidade Estadual de Maringá, Paraná.

    • Olá Luiz,

      Muito grato pela sua mensagem aqui no Libertação Digital. É sempre ótimo conhecer pessoas magníficas, não é mesmo?

      Um grande abraço e ótimas energias neste final de semana para você!

  • Luiz Carlos de Sá

    Estou quase nos 57 anos. Tenho certeza que vou chegar a fluência no Inglês. Estou nos últimos momentos do curso de letras/Português/Inglês. O maior desafio foi as pessoas não acreditarem em mim, mas vou provar. I think,I can.

    • Olá Luiz,

      Grato pela sua participação aqui nas discussões.

      Minha opinião… I think you can! 🙂

      Forte abraço.

  • Fernanda Giannini

    Sensacional …Parabéns Moema e muito obrigada Marcus pela entrevista inspiradora.

    • Olá Fernanda,

      Grato pelo seu comentário e participação aqui no Libertação Digital.

      É muito bem-vinda por aqui 🙂

      Abraços.

  • Saritha

    Muito feliz com esse vídeo. Adoro pessoas que pensam em problemas como desafios. Adoro aprender coisas novas, nos falta tempo.

    • Olá Saritha,

      Grato pela sua participação aqui no nosso canal. Ótimo ter pessoas com a mesma mentalidade aqui no grupo.

      Abraços!