Digite seu e-mail abaixo, e alavanque sua vida – e seu negócio – para o próximo nível!
* Anti-SPAM: Seus dados nunca serão vendidos nem repassados para terceiros.

Estilo de Vida Mentalidade

7 Razões Por Que Você Deve Viajar Sozinho ao Menos uma Vez na Vida

Por

Tive a chance the jantar com um cara que vez a volta ao mundo… sozinho.

Apesar de eu já ter viajado bastante, e muitas vezes sozinho, é impressionante os medos e as desculpas que damos para não fazê-lo.

Naquela conversa, em restaurante em São Paulo, a minha curiosidade era tanta que comecei a bombardeá-lo com perguntas…

  • Como foi viajar sozinho?
  • Quais os lugares que mais gostou?
  • E as praias mais bonitas?
  • Como essa viagem ao mundo mudou você como pessoa?

Foi naquele momento que me dei conta: se eu estava tão curioso com tantas perguntas, apesar de já ter viajado sozinho bastante, aquela minha reação também era um sinal.

O sinal de que precisamos viajar mais sozinhos.

Se você ainda está com medo, ou cheio de desculpas, aqui estão os 7 principais motivos fazê-lo ao menos uma vez na sua vida.

1. Você Vai Conhecer Pessoas Incríveis.

Ao mesmo tempo que viajar com amigos ou com outro grupo pode ser divertido, viajar sozinho por certo tempo pode provar ser uma das coisas mais recompensantes que você irá fazer, pelas pessoas incríveis que você vai conhecer.

Quando viajamos com amigos ou com um parceiro, nós temos a tendência de nos limitarmos àquele grupinho de rostos familiares, e embora você vá encontrar pessoas novas, as dinâmicas e interações não serão tão profundas e satisfatórias.

Enquanto você está sozinho na estrada, você tem muito mais vontade de encontrar parceiros de viagem, interagir com outros viajantes, e geralmente tenta conseguir mais, a fim de se socializar.

2. O Senso De Total Liberdade.

Quando você viaja só e começa a conhecer pessoas e fazer amizades incríveis, você provavelmente vá interagir com parceiros de viagem e acabar expandindo seus planos.

Você provavelmente irá mudar seus planos quando ouvir falar naquela cachoeira impressionante, naquela praia deserta incrível, na oportunidade de fazer bungee jump em uma ponte alta, ou saborear algum petisco especial que você só encontrará fora de seu lugar de sempre.

Quando você está viajando, você se abre às mudanças e as recebe de braços abertos.

E o melhor é que você não tem de incluir isto na agenda de um grupo, ou dar explicações, ou desapontar ninguém, você pode seguir seu ritmo, seus desejos, e se mover como o vento.

3. Viajar Sozinho Desafia Seus Medos E Inseguranças.

É um grande desafio, especialmente se é a sua primeira experiência viajando só.

Eu me lembro da primeira vez em que viajei, quando tinha 20 anos e fui para Las Vegas sozinho para apresentar em uma conferência.

Eu estava aterrorizado quanto ao desconhecido, mas se eu fosse me entregar ao meu medo, eu nunca teria conhecido o meu lado forte, corajoso e aventureiro.

Eu estava assustado, mas fiz isto de qualquer maneira, e no terceiro dia, eu me sentia realmente orgulhoso de mim mesmo.

Dali em diante, nunca deixei o medo me parar.

Anos e muitas aventuras mais tarde, ainda escuto uma vozinha interior me perguntando:

  • E se alguma coisa der errado?
  • E se você acabar correndo perigo?

Isto é normal e perfeitamente humano; o medo existe para nossa própria proteção e impulsiona nosso cuidado. Mas não devemos deixar que ele controle as nossas vidas.

A segurança pode ser um grande conforto, mas o bom senso é a chave.

Pesquise bastante antes de você viajar, confira sobre os hotéis e busque depoimentos de outros viajantes em foruns e blogs.

Respeite a cultura local, e eu garanto que você vai se dar bem.

4. Apaixone-se!

Todo mundo quer encontrar sua cara metade, e muito é falado sobre falhas nos relacionamentos à distância.

Não deve ser assim!

Nós encontramos o amor, quando conhecemos alguém com quem dividimos nossos interesses, sonhos e metas. Quando você viaja sozinho, você conhece pessoas de tantas partes do mundo, que se apaixonar pode simplesmente acontecer.

Se vai ser um grande amor de verão ou terminar em um altar, isto ninguém sabe, mas existem muitas pessoas lá fora com histórias incríveis.

Se você já tem um parceiro, este tempo longe poderá impulsionar sua paixão, e quando você voltar, apreciarão ainda mais a companhia um do outro.

5. Você Pode Tirar Tempo Para Se Nutrir.

Se você tem uma vida estressante em casa, estudando bastante ou trabalhando demais, viajar sozinho pode ser a chance de tirar um tempo e se nutrir.

Tanto faz se você viaja com uma maleta para um lugar mais barato, ou se o céu é o limite do seu dinheiro, você pode usar este tempo para se deleitar.

Saborear deliciosas refeições locais que lhe darão mais energia e saúde, fazer longas caminhadas na praia ao nascer do sol, ou receber uma massagem, fazer yoga e relaxar muito.

Curta todas as coisas maravilhosas que você merece e entenda que a felicidade é apenas um pássaro, certo?

E não um privilégio.

6. Você Terá A Chance De Se Reinventar E Ser Quem Você Quiser Ser.

Quando viajando sozinho, você pode deixar para trás aquele seu velho lado desanimado e cansado e começar a ser uma nova pessoa, explorar partes de sua personalidade com que você não se sente muito confortável ou familiar.

Quando na estrada, você vai ser desafiado por vários fatores inesperados e vai se surpreender com o quão bem você responderá a estes desafios.

Encoraje-se por desencadear a pessoa maravilhosa, irresistível e inteligente que você é, mas que você negligencia em sua rotina diária.

7. Você Pode, Finalmente, Tirar Um Tempo Para Deixar Qualquer Outra Coisa Para Trás.

Apenas se desligue do mundo por alguns minutos.

Desligue seu celular, “esqueça-se” de conferir seus e-mails por alguns dias… não pense nas contas para pagar, nas responsabilidades, nos deveres e problemas.

Deixe-os de lado.

A maioria das vezes em que temos criatividade mais intensa ou que encontramos
soluções para todos os nossos problemas, na verdade, são aqueles momentos em que nos desligamos e paramos de nos preocuparmos.

Você já tentou lembrar-se de algum nome ou data e simplesmente não conseguiu, e depois, quando você desistiu de tentar, surgiu na ponta da língua?

Acontece o mesmo com outras coisas na vida.

Às vezes, nosso cérebro precisa se livrar de velhos pensamentos para que possa dar espaço à criação de outros novos e melhores.

Por isto, simplesmente se desligue de tudo, e ficará impressionado com o quão fresca sua mente estará quando voltar para casa.

Marcus Lucas - Assinatura  

“A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho
original.” – Albert Einstein

Fonte Adaptada: http://thoughtcatalog.com/yara-coelho/2013/12/7-reasons-why-you-should-travel-alone-at-least-once-in-your-life/

Fique Atualizado, É 100% Grátis!

Gostou deste artigo? Então digite seu e-mail para receber atualizações:

Você já viu o que o mundo tem a oferecer e como viajar pode ser beneficial para você? Participe das discussões nos comentários.

ARTIGOS RELACIONADOS
  • hum…sozinho para longe estou indo agora em maio, e ainda para uma super conferência e já estou me sentindo muito desconfortável . . . O que é ótimo!
    Um grande abraço Marcus, parabéns pelo trabalho e obrigado pelo seu compartilhamento conosco!

    • Olá João!

      Muito legal a sua participação. Isso é algo que tento praticar constantemente: sair da zona de conforto e tentar apreciar o desconforto inicial.

      Ótima iniciativa e nos vemos em breve! E grato pelas palavras de apoio!

      Grande abraços.

      • Charlene

        òtima matéria…viajo muito…mas sempre com algum amigo…tenho muita vontade de ir sozinha…mas falta essa famosa coragem…quem sabe esse ano 🙂

        • Olá Charlene,

          Obrigado pela participação no blog!

          Sabe como ganhar coragem do dia para noite?

          Comprando a passagem.

          Assim você não tem mais como dizer não e você verá uma coragem enorme crescendo dentro do seu peito, a qual nem mesmo você sabia que tinha.

          Forte abraço!

  • Para viajar basta existir. Abraços. =D

    • Alex, exatamente.

      Enfrentar os medos e partir para um aprendizado sem comparação.

      Principalmente viajar sozinho, quando somos desafiados de formas nunca ocorridas antes.

      Grande abraço!

      • Uma grande experiência de vida, sem dúvida alguma.

        “Pior que não terminar uma viagem é nunca partir.”

        Abraços irmão!

  • Olá Marcus,

    Viajar sozinho faço isso desde quando tinha 15 anos – meus pais moravam a quase 500 km de onde moro atualmente – e isso era um desespero para meus familiares. Já fui a muitos lugares (por enquanto, só no Brasil) sem companhia de amigos ou familiares, posso garantir que é maravilhoso e não estou nem aí quando dizem que estou fazendo loucura.

    Uma viagem que me marcou foi quando eu estava estressado, no fim do ano 2000. Fui até o sul de Minas para uma cidade turística e lá andei a cavalo, coisa que amo fazer, e voltei outra pessoa; foi uma verdadeira terapia! E ainda neste ano pretendo viajar sozinho, só que de trem, para conhecer minha terra natal.

    Parabéns pelo blog, está ótimo! Grande abraço e sucesso sempre!

    • Grande Fabio!

      Excelente seu depoimento sobre viajar sozinho. Tenho certeza que serve de inspiração para mais pessoas que estão lendo este seu comentário.

      Exatamente, viajar se torna uma aventura e muitas vezes uma terapia. Assim que for viajar de trem, compartilhe aqui conosco sua experiência!

      Obrigado pelas palavras, e muito feliz com sua participação!

      Forte abraço, amigo!

      • Fala Marcus! Tudo bem?

        Cá estou para compartilhar a viagem que fiz no fim de setembro deste ano para conhecer a cidade onde nasci.

        Tive que fazer umas alterações na minha viagem de trem. A primeira foi na ida, pois fui de van até Governador Valadares, para conhecer um colega da turma Platinum do treinamento Libertação Digital. E de lá mais duas horas de ônibus até Resplendor, pois não achei passagem.

        Fiz umas amizades, com a ajuda da viola e não tinha passagens para o dia que pretendia voltar. Fiquei mais um dia, que foi até bom para conhecer um pouco mais a cidade.

        E a volta, essa sim, foi de trem até Belo Horizonte. É um transporte seguro, barato e confortável (mesmo nos vagões convencionais tem serviço de bordo, ar condicionado, banheiros e tomadas para carregar celular e notebook), chega a lembrar um avião em certos momentos. Só que não é rápido, vai no máximo a 60 km/h, o que permite desfrutar das paisagens que são muito bonitas.

        O que faltou? Apenas um melhor planejamento para ir e voltar de trem nos dias pretendidos. Recomendo para quiser viajar de um modo diferente, confortável e econômico.

        Grande abraço e espero que possa inspirar mais pessoas!

  • Marcia

    Olá Marcos, viajo muito mas n tenho coragem de viajar sozinha pq tenho epilepsia e queria saber se vc vê perigo nisso. Tomo remédio mas já tive mais de uma crise com o remédio tomado e gostaria de saber como proceder. Tenho receio de ter uma crise e estar num lugar desconhecido, num hotel sozinha ou mesmo sem ninguém pra me direcionar se isso acontecer.

    • Olá Marcia,

      Obrigado pela sua participação aqui no blog!

      Antes de qualquer coisa, você sempre deve consultar um médico, pois eles certamente irão guiar e recomendar você da melhor forma possível.

      Acredito que dependa muito do quão forte seus ataques de epilepsia é, e se existem soluções ou não de ajuda, nos mais variados cenários.

      Se for viajar sozinha, existem alguns intercâmbios (que podem ser profissionais ou para estudo) em outros países, onde existe uma equipe que é responsável a ajudar você no que preciso.

      Acredito que, se realmente este é o seu sonho, a opção de intercâmbio profissional ou a estudo, com um grupo de pessoas que podem auxiliá-la seria o ideal.

      Fiz 2 intercâmbios pelas AIESEC.org, e nos países que fui tinham pessoas para ajudar em coisas do dia a dia – como se locomover ao trabalho ou ONG, restaurantes, como pagar aluguel, etc.

      Então, busque se informar sobre organizações assim, e sempre seja honesta e direta sobre essa condição. Melhor fazer tudo certinho e ter o apoio necessário do que remediar lá no futuro 🙂

      Espero ter ajudado você.

      Forte abraço!

      • Marcia

        Valeu Marcus, em geral tenho a noite e não me lembro pq quando acordo não lembro da crise( ninguém lembra!). Nunca lembramos o que aconteceu, é como se tivesse um apagador q sumisse com o fato. Fico sabendo pq me contam. Elas, as crises, devem durar 3 min. no máximo e eu me debato, trinco os dentes e sempre mordo a língua, sem contar que ao me debater eu me machuco e fico dias dolorida. Minha mãe filmou uma crise. “É feio”. Tomo remédios mas as vezes tomo fora de hora pq fui dormir tarde e não acordei pra tomar. Pensei em colocar um despertador. Acredito que vc entendeu minha preocupação pq na verdade, epilepsia não mata e não é contagiosa, é apenas um choque forte que levamos como se um raio entrasse na sua cabeça.
        Obrigada pela força, concluí que não posso ter isso na rua….

        • Olá Marcia,

          Legal você contar a sua história aqui.

          Gostaria que você visse o vídeo do Jason, o último vídeo que aparece nesse link:

          => http://www.simplepickup.com/about/

          Apesar de ser em inglês, este último garoto, que coincidentemente é amigo de um amigo meu, também tem epilepsia.

          Espero que alguém possa traduzir esse vídeo para você… vale muito a pena ver a história do Jason.

          Acredito que você entenderá melhor a mensagem que quero passar ao assistir.

          Abraços! 🙂

    • Olá Marcia! Tudo bem com você?

      Li sua mensagem e me identifiquei com ela, pois tomo remédio para controlar crises que, ao que tudo indica, são de epilepsia, embora os exames que já fiz, alguns até específicos, não detectaram isso.

      As últimas crises, manifestadas mais raramente, acontecem após passar por uma emoção forte (alegria, dor, tristeza, raiva, etc.), falta de sono e falta de alimentação. Juntar os três é quase certeza que terei uma crise, tal como você descreveu aqui no blog.

      Fora isso, levo uma vida praticamente normal, pois faço academia, dirijo, viajo (sozinho ou não), toco música, etc. De vez em quando bebo um pouco, mas sem excessos. O que eu faço, muitas vezes ao conhecer novas pessoas, é falar o que deve ser feito caso eu tenha uma crise. Comigo, esqueço do que acontece por algum tempo e volta logo depois.

      Vamos manter nosso contato para trocar umas ideias sobre esse assunto. Forte abraço!

  • Cibelle Nascimento

    Oi Marcus,

    vim sozinha para a Índia e essa foi a melhor decisão que já tomei! Conheci muita gente, de todos os cantos do mundo, vivi muita coisa incrível, fiz muitos amigos que provavelmente não teria feito se tivesse trazido alguém comigo. Vou voltar com a mala cheia de histórias, e contando os dias para a próxima viagem – talvez sozinha também! 🙂
    Vou postar o link do seu texto no meu blog, posso?

    Abraços e boa sorte na sua próxima aventura! 🙂

    • Olá Cibelle!

      Obrigado pela participação e muito legal a sua colaboração aqui. Índia estava na minha lista inicial do meu primeiro intercâmbio, mas no fim fui para as Filipinas.

      Deve ter sido ótimo! Curry indiano é delicioso demais, não é?

      Muito feliz que quer compartilhar o artigo.

      Pode sim, não esqueça de colocar uma referência para o artigo aqui… e, se possível, apenas nos informe a URL do seu blog aqui nos comentários, para que eu possa visitá-lo em breve 🙂

      Forte abraço!

      * E continue participando das discussões.

      • Cibelle Nascimento

        Não se preocupa, vou só citar que li o texto e postar o link pra quem quiser ler. O post sai amanhã, assim que publicar mando o endereço pra você ler 🙂

        Curry indiano é uma delícia mesmo! Tudo aqui é incrível! E morro de curiosidade com as Filipinas, tá na minha lista pras próximas viagens com certeza 🙂

        Abs!

        • Olá Cibelle,

          Filipinas é demais! Se puder, visite Palawan e Boracay… praias fantásticas.

          Forte abraço, querida!

      • Cibelle Nascimento

        Oi Marcus,

        esse é o link do post, se quiser conferir 🙂

        http://belleinthepinkcity.tumblr.com/post/78875553880/viajando-sozinha

        Obrigada pela inspiração hehe

        Abraços!

        • Olá Cibelle!

          Aprovadíssimo 🙂

          E muito bacana o seu blog. Compartilhar experiências é ótimo para que pessoas consigam ‘ver através dos seus olhos’.

          Abraços, querida!

  • Simone Flor

    Olá Marcus!
    Inspiração de texto! Veio na hora exata! Muito obrigada! Estou planejando ficar fora do Brasil por alguns meses no próximo ano. Quero aprender inglês e novas culturas. Por favor você pode dar uma sugestão?
    Grande abraço.

    • Olá Simone,

      Muito feliz que tenha inspirado você no momento correto.

      Depende muito do seu perfil…

      Um lugar que adoro, com bom custo vs benefício, pessoas muito amistosas, cuja língua oficial é o inglês… Filipinas.

      Fora todas as praias e ilhas paradisíacas que você encontrará por lá.

  • Jorge Diogo de Souza Costa

    Excelente texto Marcus! Já tiver a oportunidade de fazer mochilão sozinho duas vezes e valeu muito a pena! Já estou me preparando para a terceira: Sudeste Asiático!

    Um abraço!

    • Olá Jorge,

      Fantástico! O Sudeste Asiático é fenomenal!

      Abraços.

  • top essa experiência. vale a pena viajar sozinho!!

  • Luciano Cherdoski

    Olá. No final de 2016 estarei realmente indo para a Tailândia, para ver uma pessoa muito especial para mim pessoalmente e não por Skype, nos conhecemos já faz mais de 1 ano e já tivemos muitas ideias. Por enquanto meu dinheiro não pode me ajudar muito, mas já estou acabando com minhas dividas e com toda certeza irei fazer minha primeira viajem. Seu blog é demais, muito informativo, esta me ajudando muito a pensar no que realmente quero e como seguir meu próprio caminho.

    • Prezado Luciano,

      Essa pessoa é Thai?

      • Luciano Cherdoski

        sim

  • Thaís Canto

    Para mim é muito difícil conseguir conciliar meus desejos e disponibilidade de viajar com de outra(s) pessoa(s), então tenho viajado sozinha e tem sido muito bom.
    Para mim a sensação de liberdade é muito boa. Posso decidir fazer o que quiser dentro dos meus horários e interesses, sem precisar negociar com ninguém. Desde acordar mais tarde a mudar o roteiro naquele dia.
    Recomendo essa experiência para todo mundo.

    • Olá Thaís!

      Somos muito parecidos! A liberdade é muito maior quando viajamos sozinhos, algumas vezes outras pessoas acabam nos atrasando bastante…

      Obrigado pelo comentário!

      Abraços.

  • Caio Marcelo

    Ótimo artigo. Só depois de viajarmos sozinho para algum lugar percebemos a importância de dedicar tempo a nós mesmos. E a partir daí percebemos que não precisamos de companhia para sentir-se bem e fazer coisas interessantes. Viajar sozinho é uma ótima e inesquecível experiência.

    • Olá Caio!

      Concordo 100% com o que você disse.

      Forte abraço!

MARCUS LUCAS
KOH SAMUI, TAILÂNDIA

Marcus Lucas, além de Mestre em Sistemas de Informações Globais e Telecomunicações pela Waseda University, Japão, é empreendedor digital nômade e autor, apaixonado por automação de negócios e lifestyle business.